Brasil estará entre os 20 países com maior geração solar em 2018

Em 2014, houve a primeira contratação de energia solar de geração pública centralizada, e, em 2015, mais dois leilões ocorreram, totalizando 2.653 MW

Estudos para o planejamento do setor elétrico em 2050 estimam que 18% dos domicílios no Brasil contarão com geração fotovoltaica


Estudos para o planejamento do setor elétrico em 2050 estimam que 18% dos domicílios no Brasil contarão com geração fotovoltaica

O mundo contabilizou, no fim de 2014, certa potência instalada de geração de energia solar fotovoltaica de 180 Gigawatts (GW), 40,2 GW o mais que no 2013. Os dados constam no boletim “Energia Solar no Brasil e no Mundo – Ano de Referência – 2014”, divulgado pelo Ministério de Minas e Energia (MME), e apontam que, dentro de dois anos, o Brasil estará entre os 20 países com maior geração de energia solar no mundo.

Os cinco primeiros países em potência instalada – Alemanha, China, Japão, Itália e EUA –  respondem por 70% do total mundial nessa fonte. Em 2015, a China deverá alcançar o 1º lugar no ranking mundial de potência instalada. De acordo com o boletim, a Grécia possui o mais alto percentual de geração solar em relação à sua geração total (9,5%), seguida pela Itália (8,6%). 

De acordo com dados da Agência Internacional de Energia (IEA), a energia solar conseguirá responder por em torno de 11% da oferta global de energia elétrica em 2050 (5 mil TWh). A área coberta por painéis fotovoltaicos capaz de produzir essa energia é de 8 mil km², a correspondente o um quadrado de 90 km de lado (quase uma vez e meia a área do DF).

Em 2018, o Brasil deverá estar entre os 20 países com maior geração de energia solar, considerando-se a potência já contratada (2,6 GW) e a escala da expansão dos demais países. O Plano Decenal de Expansão de Energia (PDE 2024)estima que a capacidade instalada de geração solar chegue a 8.300 MW no ano de 2024, sendo 7.000 MW geração descentralizada e 1.300 MW distribuída. A porção de geração solar deve chegar a 1% do total. 

Pesquisas destinadas  a elaboração de um projeto do setor elétrico em 2050 estimam que 18% dos domicílios no Brasil contarão com geração fotovoltaica (8,6 TWh), ou 13% da demanda absoluta de eletricidade residencial.

Geração centralizada

Em 2014, houve o primeiro contrato de energia solar de geração pública centralizada (890 MW). Em 2015, mais dois leilões foram realizados, totalizando 2.653 MW contratados, com começo de abastecimento em 2017 e 2018. Os leilões foram realizados na forma de energia de reserva, afim de incentivar o uso da energia solar fotovoltaica no Brasil, além de fomentar a sua indústria.

A potencialidade brasileira para energia solar é excepcional. O Nordeste apresenta as maiores valores de irradiação solar global, juntamente o maior média e o menor variabilidade anual, dentre todas as regiões geográficas. Os valores máximos de irradiação solar são observados na área central da Bahia e também no noroeste de Minas Gerais.

Incentivos

O Ministério de Minas e Energia lançou, na data de 15 de dezembro, o Programa de Geração Distribuída de Energia Elétrica (ProGD). O meta é de entusiasmar a geração de energia pelos próprios consumidores (residencial, comercial, industrial e rural) com alicerce em fontes renováveis, em especial a fotovoltaica. Há potencial para a instalação de 23,5 GW até 2030.

Fonte: Portal Brasil, com informações do MME


Olá, vamos bater um papo! É só se cadastrar aqui e iremos te enviar alguns emails com o melhor do nosso conteúdo para te ajudar, seja você um consumidor de energia, investidor, epecista ou apenas interessado neste maravilhoso mundo da sustentabilidade!

É um caminho de comunicação direto que nenhum outro portal oferece para seus leitores. E a intenção é construir uma comunidade vibrante que esteja preparada para todos os enormes desafios que virão. Vamos construir conhecimento e conteúdo juntos! Contamos muito com a sua presença neste papo! Cadastre-se na caixa ao lado!