Canadian Solar anunciará 1ª fábrica de painéis solares no Brasil

A fabricante canadense de painéis de energia solar, Canadian Solar, vai anunciar na próxima sexta-feira a instalação de sua primeira unidade para a produção de equipamentos para produção de energia solar no Brasil.

A empresa, que será instalada dentro de Sorocaba, na interior de São Paulo, possui como meta atender as requisitos de conteúdo nacional do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o que possibilitará que os clientes possam investir nos equipamentos através de financiamento com taxas atrativas através do banco de incentivo. 

Nesta terça-feira, a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex) informou que a Canadian Solar anunciará na sexta-feira investimentos no Brasil, porém não entrou em minúcias sobre o que será apresentado. 

Segundo essa fonte, a produção da indústria em placas solares será correspondente o uma potência instalada de geração de 350 megawatts ao ano, e a avaliação é de começo da operações em setembro. 

A título de comparação, os primeiros leilões que o governo promoveu contrataram, cada um, 1 gigawatt.

"O edifício já está concluído e o equipamento (destinado a fabricação) está sendo importado", afirmou a fonte à Reuters, segundo condição de anonimato, pois o que o anúncio ainda não foi oficializado pela empresa. 

O fábrica será o primeiro investimento produtivo da Canadian Solar no Brasil, no lugar em que a companhia atualmente possui apenas escritórios de vendas. 

A entrada da primeira fabricante de reputação internacional no Brasil ameniza alguma preocupações de investidores, que se queixavam da ausência dos produtores de poderoso porte no país. 

A ausência de uma produtora local e a alta do dólar levaram o grande parte das companhias que viabilizaram projetos em concurso em 2014 o pedir à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) um tempo adicional de dois anos a fim de instalação dos empreendimentos.

A Canadian Solar também possui concessões para a implementação de usinas fotovoltaicas como investidora, arrematadas em leilões públicos promovidos pelo governo para a contratação de projetos solares em 2014 e 2015.

Não foi revelado o tamanho do investimento empregado na fábrica em Sorocaba. Procurada, a empresa não comentou sobre o assunto.

Fonte: Luciano Costa, Reuters.