Apple abre subsidiária para revender excedente de produção de energia solar

Além de utilizar energia limpa na manutenção de seus escritórios, lojas e data centers, a Apple agora também quer vendê-la a outras empresas. Para isso, a companhia abriu uma empresa subsidiária chamada Apple Energy para revender o excedente de sua produção de energia solar. É isso mesmo: a Maçã está produzindo tanta energia renovável que decidiu revender o que sobra. A nova empresa acabou de abrir um chamado no Federal Energy Regulatory Comission, órgão que regula o mercado de energia dos Estados Unidos, pedindo para que sua atividade de distribuição de energia pelo país seja devidamente aprovada. Espera-se que a liberação ocorra dentro de 60 dias e que a subsidiária comercialize 521 megawatts de energia solar. Ainda é cedo para dizer se a Apple se tornará uma companhia de distribuição energética. No entanto, parece provável que ela esteja planejando crescer ainda mais - e, portanto, utilizará mais energia em suas instalações -, deixando a Apple Energy como uma fonte de captação de dinheiro, já que, por enquanto, está produzindo muito mais energia do que consome.

Desde o primeiro março desse ano a resolução normativa 687/15 da Aneel possibilita no Brasil que empresas constroem suas próprias usinas de energia solar. Em vez de vender energia, no Brasil a regulamentação permite o aluguel das placas dos lotes das usinas. Nesse modelo o inquilino vai produzir a própria energia no lote que arrendou.

Fontes: Canaltec, The Verge, 9to5Mac