China implanta pesadas multas contra a poluição

É sabido que a poluição do ar acarreta em diversos males para o planeta e para a população humana. Por todo o mundo, cidade que lida com o pior caso é a China.

hypescience.com

hypescience.com

Cidades chinesas, especialmente as do norte, possuem níveis altíssimos de poluição do ar. A maior fração se deve a queima de carvão industrial, seguida de veículos a motor.    

O caso é tão extremo que em Pequim, por exemplo, só se vê o céu claro quando suas fábricas são obrigadas a fechar, algo que só acontece esporadicamente, durante reuniões de cúpula internacionais ou em eventos comemorativos.        

A mudança climática está fornecendo um apropriado argumento a fim de forçar a China a reduzir sua poluição. Ao lado dos EUA, a dupla – que são dois dos maiores emissores de carbono do mundo – começou a negociar recentemente ações para que ambos os países se tornem mais “amigos do meio ambiente”.    

No entanto, o país que mais investe em energias renováveis do mundo não consegue se livrar de um problema que assombra a população há décadas. O carvão ainda é a principal fonte de energia chinesa, com uma fatia de 64% da matriz energética.

intelligence-group

intelligence-group

Um estudo realizado pelo grupo de pesquisa Berkeley Earth descobriu que até 4 mil pessoas morrem por dia no país por conta da poluição.

Com isso parece que um motivo melhor acabou de surgiu: a vida de seus próprios moradores.   

De acordo com estudo da Universidade de Nanquim, publicado em novembro na revista Science of total environment , a poluição está por trás de um terço das mortes na China. Segundo a OMS, no país é registrado o maior número de óbitos no mundo por esta razão. A poluição tornou-se uma das maiores queixas da população chinesa, sobretudo da nova classe média, e isso assusta o governo.

No momento em que 23 cidades chinesas estavam vivendo sob alerta máximo de poluição, foi anunciada uma legislação inédita, que cobrará multas pesadas das indústrias poluidoras a partir de 2018, e também o lançamento ao espaço do novo satélite que deverá monitorar emissões de dióxido de carbono na atmosfera.  

Embora não tenham impacto imediato sobre a redução das emissões, as duas iniciativas confirmam a preocupação do governo com o tema poluição.

Fonte: Notícias Terra; Hypescience


SIGA A COSOL NO MEDIUM: MEDIUM.COM/COSOL