Empregos no setor de energia limpa crescem 12 vez mais do que a economia dos EUA

Um novo relatório, divulgado pelo programa Climate Corps do Fundo de Defesa Ambiental, estima que os empregos solares e eólicos estejam crescendo a uma taxa 12 vezes mais rápida do que o resto da economia dos EUA e sugere que 46% das grandes organizações contrataram mais trabalhadores para tratar questões de sustentabilidade nos últimos dois anos.

(Créditos de imagem: HuffPost.)

Esses ganhos contrastam com a postura do atual presidente Donald Trump em relação à energia. O presidente tem defendido consistentemente a eliminação das regulamentações ambientais e aumentar a produção de combustíveis fósseis como uma forma promissora de trazer empregos para a América.

"A abordagem atual do Trump é basicamente ignorar toda uma indústria que cresceu nos últimos 10 anos e é bastante robusta", disse Liz Delaney, diretor do programa da EDF Climate Corps, à Business Insider.

Ainda, segundo o relatório do FED, a taxa de aumento anual composta do emprego na indústria de combustíveis fósseis, uma mensuração do crescimento médio anual, foi de -4,5% entre 2012 e 2015. Os empregos de energia renovável tinham uma taxa de 6% ao longo desse período.

Quando se trata de geração de energia elétrica nos EUA, o Departamento de Energia do Relatório de Energia e Emprego 2017 revela que a indústria solar agora emprega mais pessoas do que o carvão, petróleo e gás combinado. O petróleo ainda emprega a maior parcela quando inclui empregos relacionados a combustíveis, entretanto.

"Nossas descobertas nos levarão a acreditar que o lugar certo para investir dólares são em energia renovável, em vez de combustíveis fósseis", diz Delaney.

"Esses empregos são largamente distribuídos geograficamente, pagam bem, aplicam-se tanto aos trabalhadores manufaturados quanto aos profissionais, e existem muitos deles". Delaney diz que uma das descobertas mais surpreendentes do relatório da EDF é que 70% dos 2,2 milhões de americanos que trabalham em empregos relacionados à eficiência energética são empregados por empresas com 10 funcionários ou menos. "O que estamos falando aqui são pequenas empresas", diz ela.

É provável que as promessas de Trump de restringir a regulamentação ambiental e reprimir a pesquisa em energias renováveis ossam adicionar novos empregos na indústria de combustíveis fósseis e também dificultar o crescimento no setor de sustentabilidade, porém as forças de mercado sugerem que seria muito difícil deter a tendência geral de renováveis. O Relatório de Energia e Emprego do Departamento de Energia prevê que o emprego de eficiência energética terá uma taxa de crescimento de 9% nos próximos 12 meses - maior do que qualquer outro setor de energia.

Fonte: Business Insider


SIGA A COSOL NO MEDIUM: MEDIUM.COM/COSOL