Sustentabilidade energética para médias e pequenas empresas

Diante do atual cenário brasileiro, o empreendedor busca formas de economizar e o gasto com energia elétrica precisa estar dentre as prioridades.

 (Créditos de imagem: Orms)

(Créditos de imagem: Orms)

Segundo a Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Conservação de Energia, por causa da realidade do mundo contemporâneo, o crescente aumento de demanda das usinas termelétricas e a falta de chuvas, os custos da energia tendem o subir cada vez mais, podendo chegar, até 2020, ao acréscimo de pelos menos 9% ao ano. 

No entanto existem formas de modelas uma empresa para que ela consuma menos energia. Ações simples e pontuais são capazes de colaborar muito no consumo consciente. A readequação de turnos e espaço físico, a iluminação inteligente e o diagnóstico do maquinário são algum pontos imprescindíveis a serem avaliados.

Com o objetivo de auxiliar profissionais o localizar pontos positivos e negativos de uma empresa a fim de aprimorar o consumo de energia elétrica, a seguradora Segs, desenvolveu na Datte, uma empresa mineira de tecnologias avançadas em gestão, um programa batizado PEEE – Programa Educacional de Eficiência Energética, que foi experimentado e aprovado pela Aneel, Agência Nacional de Energia Elétrica. O PEEE foi tão bem-sucedido, que, ao ser implantado por grandes companhias do setor elétrico, como CEMIG e CPFL, recebeu prêmios, como o Prêmio CPFL Mais Valor 2016, que atesta fornecedores de objetos e serviços na área de energia. 

Além de ser um excelente escolha para auxiliar as empresas a reduzirem seus custos com energia, o treinamento para a utilização desse programa promove consciência social, uma vez que ele educa as pessoas, tanto no âmbito profissional, como pessoal. Assim, com metodologia própria, customizada e minuciosamente modelada para cada situação e cliente, fomos respondendo às necessidades de cada empresa, para que elas pudessem reduzir drasticamente custos internos, melhorando a eficiência de processos e a classe dos produtos e serviços.

"Ao passar o tempo, fomos concluindo que a metodologia originada por nossa equipe poderia ser adaptada similarmente para as pequenas e médias empresas. Dessa maneira, o programa, antes desenvolvido apenas para consumidores de alta tensão, como indústrias e empresas de grande porte, foi adaptado e hoje pode ser implantado em empresas que possuem gastos com energia superiores a mil reais em conta por mês. Um exemplo são os empreendimentos do setor de panificação, que conheceram a nossa tecnologia e já estão se preparando para implantá-la o partir do início de 2017. Isso porque o maquinário necessário em padarias e confeitarias é de grande consumo de energia. Nossa intenção é auxiliar esse médio e pequeno empreendedor o reduzir gastos, eliminar desperdícios e melhorar a produtividade, além de estimular outras formas de ganhos em produção e de sustentabilidade do negócio." Contam os idealizadores do projeto.

Fonte: Segs.


SIGA A COSOL NO MEDIUM: MEDIUM.COM/COSOL

ENTRE EM CONTATO ATRAVÉS DO E-MAIL: blogcosol@gmail.com