Bahia

Fórum debate fontes de energia renovável na Bahia

Investimento em energias renováveis e o protagonismo da Bahia neste segmento foram tema do 31º Fórum [B+] realizado na manhã da última terça-feira (02/07)  no Espaço Verde Paralela, auditório da Odebrecht, em Salvador.

Evento reuniu secretário de estado, investidores e especialistas da área de energia.

Evento reuniu secretário de estado, investidores e especialistas da área de energia.

Questões como legislação ambiental, financiamento, perspectivas de mercado, desenvolvimento de tecnologia foram tratados pelos palestrantes. Entre estes, Humberto Rangel, diretor de relações institucionais do Enseada Indústria Naval, em Maragojipe, onde estão sendo estudadas soluções integradas para indústrias eólica e automotiva.

Segundo os organizadores do evento, somente no ano passado o Brasil bateu recorde ao aplicar US$ 657 milhões em energia solar. O valor classifica o país como uma das dez potências que apostam em energias limpas.

Reinaldo Dantas Sampaio, superintendente de estudos e políticas públicas da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, explicou que a Bahia produz 50% da energia que demanda, sendo que 70% correspondem a energia não renovável e 30%, renováveis, sendo que existe a perspectiva de que este segmento chegue a 42% até 2019.

Ele disse ainda que mais de 180 projetos foram comercializados nos leilões de energia realizados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Os investimentos no setor eólico são de cerca de R$ 18,4 bilhões, o que movimenta a economia dos municípios, onde os parques são instalados. Em relação a energia solar, está sendo elaborado o mapa solarimétrico do país para definir parâmetros de investimentos.

Enseada

Em parceria com o governo da Bahia, a Enseada Indústria Naval também está apostando no novo segmento, para oferecer soluções integradas para os mais diversos segmentos da indústria, como o eólico e o automotivo.

De acordo com Humberto Rangel, diretor de Relações institucionais do empreendimento, o Polo Industrial Enseada, implantado e licenciado no município de Maragojipe, garantirá qualidade, produtividade e engenharia de produção para empresas interessadas em expandir sua atuação no estado e no país. O investimento privado é superior a R$ 3 bilhões, dos quais R$ 2,7 já realizados, disponibilizando capacidade industrial, portuária e logística para o Brasil.

O secretário do Meio Ambiente, Eugênio Spengler, e a advogada de direito ambiental Erica Rusch destacaram os cuidados a serem adotados com a proposta da nova Lei Geral de Licenciamento Ambiental que poderá prejudicar o setor. O secretário se disse, porém, satisfeito com o atual quadro do setor de energias renováveis diante do compromisso assumido em 2015 no Fórum Mundial do Meio Ambiente.

Fonte: Jornal A Tarde.


Olá, vamos bater um papo! É só se cadastrar aqui embaixo e iremos te enviar alguns emails com o melhor do nosso conteúdo para te ajudar, seja você um consumidor de energia, investidor, epecista ou apenas interessado neste maravilhoso mundo da sustentabilidade!

É um caminho de comunicação direto que nenhum outro portal oferece para seus leitores. E a intenção é construir uma comunidade vibrante que esteja preparada para todos os enormes desafios que virão. Vamos construir conhecimento e conteúdo juntos! Contamos muito com a sua presença neste papo! Cadastre-se na caixa ao lado!


Maior Usina Solar da América Latina avança no nordeste

Vem sendo construída desde dezembro de 2015 pela Enerray do Brasil, a obra do Complexo Fotovoltaico Ituverava começa o obter forma. Com capacidade de produção anual de 500 GWh, o maior Usina Solar da América Latina está localizada na cidade de Tabocas do Brejo Velho-BA e ocupa uma área de quase 580 hectares.

Usina Ituverava.

Usina Ituverava.

Esta é uma obra de grande importância para o Brasil, pois beneficiará cerca de 243 mil famílias, uma vez que a energia gerada em Ituverava será entregue no matiz energética nacional. A produção está estimada em 400 milhões de dólares e irá auxiliar para suprir a demanda regular de energia elétrica no país, que segundo as estimativas deve crescer o uma taxa média de 4% ao ano. 

De acordo com o CEO da Enerray, Thomas Kraus, a expectativa para os próximos meses é tratar a obra dentro do cronograma. Até o momento ela está evoluindo bem, sem atrasos significantes. "No mês de maio iniciamos a cravação das 133 mil estacas e além disso a montagem do mais de 19 mil trackers. Em junho, foram instalados os primeiros conjuntos de módulos fotovoltaicos. O avanço na cravação de estacas, dentro do prazo previsto, se deve ao investimento massivo feito pela Enerray em maquinário de última geração, que utiliza inclusive, tecnologia robótica e georeferenciamento por GPS, além do emprego e treinamento contínuo de nossa equipe técnica altamente qualificada e experiente", explica Kraus.

A previsão é que o Complexo comece a operar ainda no primeiro semestre de 2017.

Sobre a Enerray: Localizada em Jundiaí, a 50 km de São Paulo a Enerray é totalmente focada em energia fotovoltaica desde 2011. Uma empresa líder na concepção técnica, construção e gestão de sistemas fotovoltaicos de médio e grande porte, que até o momento, já criou mais de 240 sistemas fotovoltaicos em todo o mundo.

Fonte: Dino - Divulgador de Notícias.


Olá, vamos bater um papo! É só se cadastrar aqui e iremos te enviar alguns emails com o melhor do nosso conteúdo para te ajudar, seja você um consumidor de energia, investidor, epecista ou apenas interessado neste maravilhoso mundo da sustentabilidade!

É um caminho de comunicação direto que nenhum outro portal oferece para seus leitores. E a intenção é construir uma comunidade vibrante que esteja preparada para todos os enormes desafios que virão. Vamos construir conhecimento e conteúdo juntos! Contamos muito com a sua presença de neste papo!